Os desafios de casais com a convivência maior na quarentena

Psicólogas orientam sobre como minimizar possíveis atritos

Os desafios de casais com a convivência maior na quarentena

Por Vanessa Rabello


Em tempos de pandemia, muito se tem falado sobre os relacionamentos serem colocados em xeque pelo excesso de convivência - e dvidir o mesmo espaço, 24 horas por dia, trabalhando em esquema de home-office pode ser um desafio para os casais.


A psicóloga Christiane Maso, especialista em gestão de pessoas, destaca que para que a relação sobreviva é necessário, antes de tudo, estabelecer uma nova rotina que inclui: a divisão das tarefas de casa, o respeito sobre o tempo e o espaço do outro, ter paciência e entender a individualidade. “É importante aceitar que o outro não precisa comer o mesmo que você e nem assistir ao mesmo filme, por exemplo”, orienta.


O excesso de convivência precisa ser compreendido como um período atípico e fora do controle, mas a privacidade precisa ser preservada.  Além disso, a quarentena é fértil em outros aspectos. “É um tempo propício para criar bons momentos como casal, família e curtir com qualidade”, destaca a especialista.


Este período pode ser, ainda, um momento para estreitar os laços para fortalecer a união, para consolidar o amor e tudo o que os uniu, de acordo com a psicóloga - especialista em atendimento clínico - Marilene Kehdi. “Organizem suas rotinas de forma a manter horários específicos para trabalhar, fazer as refeições, acordar, dormir e reservem um tempo só para o casal”, aconselha a profissional.


Alguns casais têm também a tarefa de criar e educar os filhos durante a quarentena, tornando esta situação ainda mais complicada. É fundamental criar uma rotina com horário e atividades interativas que unam pais e filhos. “Isso fará muito bem a todos e manterá a relação familiar ainda mais fortalecida e coesa”, complementa Kehdi. 

r