PETS

Chocolate para pets: entenda os perigos do alimento na Páscoa

O cacau pode causar intoxicação grave e levar o animal a óbito em até 15 horas

Por: Nicole Defillo
02/04/2021 - São Paulo

pets chocolate

Quem não gosta de um chocolate, principalmente durante a sobremesa na Páscoa? Contudo, o que muitas pessoas não sabem é que essa prática não pode se estender para nossos pets, uma vez que o alimento possui substâncias extremamente nocivas para os organismos dos animais. 


De acordo com o nutricionista veterinário da UNESP, Aulus Carciofi, o chocolate possui teobromina, uma metilxantina alcalóide que é encontrada na semente de cacau e, em menor quantidade a cafeína, sendo ambas as substâncias comprovadamente tóxicas para cães e gatos. "A metilxantina leva a estimulação do Sistema Nervoso Central e da musculatura cardíaca, causando aumento excessivo da frequência cardíaca, hiperatividade e dificuldade respiratória. O principal problema é que ela leva muito mais tempo para ser eliminada do que, por exemplo, para nós humanos", afirma o profissional.


O especialista reforça que além disso, a teobromina passa por recirculação no intestino e fígado, e pode causar um efeito cumulativo dessa substância no corpo do bichinho. Por este mesmo motivo, a taxa de sobrevivência de cães intoxicados é baixa, podendo ocorrer morte de 6 a 15 horas depois da ingestão de chocolate ou derivados de cacau. 


Já a médica veterinária residente do Hospital Veterinário Governador Laudo Natel em Jaboticabal, Monique Paludetti, ressalta que nem todos os pets possuem a mesma reação e, por isso, os tutores precisam ficar atentos. "A reação varia conforme o animal, o tipo de alimento ingerido e a frequência com que ele ingere esse alimento, já que devido ao efeito cumulativo, o consumo de pequenas quantidades repetidamente podem acabar ocasionando a intoxicação", completa Monique. 


Segundo a veterinária, existem alguns sinais clínicos comuns, que podem ser observados com facilidade pelos donos, com vômito, diarreia, agitação, tremores, fraqueza muscular e pode ocorrer convulsões, coma e morte em casos graves.


O que fazer em uma emergência?



De acordo com a Royal Canin, se o tutor vir ou suspeitar que seu pet tenha ingerido o chocolate, ou qualquer outra coisa fora do habitual, deve contatar imediatamente o médico-veterinário e explicar a situação. 


Caso a família perceba sintomas de intoxicação, é indicado levar o pet imediatamente à clínica veterinária para que o tratamento adequado possa ser realizado o mais rápido possível. 


Para agilizar o atendimento em caso de emergência, o tutor ou acompanhante pode ligar na clínica ou hospital veterinário enquanto se dirige até o estabelecimento, a fim de preparar a equipe para um atendimento de urgência, se for necessário. Por isso, é importante ter sempre em mãos o contato do profissional. Além disso, não é recomendado a administração de qualquer medicamento que não tenha sido orientado previamente.

Veja também

Governo de SP anuncia vacinação para grupo de comorbidades
CORONAVÍRUS

Governo de SP anuncia vacinação para grupo de comorbidades

Gestão também informou sobre a imunização de funcionários do setor de transporte

20/04/2021 - São Paulo

imagem divulgação
ALPHA SOCIAL

Ação da Cidadania ajuda mais de 22 milhões de brasileiros

ONG já distribuiu 45 mil toneladas de alimentos

20/04/2021 - São Paulo

Enxaqueca: saiba como lidar
WELLNESS

Enxaqueca: saiba como lidar

Dores de cabeça frequentes atingem cerca de 30 milhões de brasileiros

20/04/2021 - São Paulo